Girâdola de Enigmas

Em 2003 lançou a coleção Girândula de Enígmas a pedido da Superintendência do Patrimônio Cultural da Assembléia Legislativa de São Paulo, com tema Máscaras em detrimento de sua obra “Mascarados” em acervo do Palácio 9 de Julho – SP.

Exposta 20 telas no espaço cultural do CRC em São Paulo, sob curadoria de Emanuel von Lauenstein Massarani.

Na alquimia das expressões humanas, a de Marcos Irine merece uma particular colocação. Não importa descobrir os significados que lhe atribui o autor. A obra-de-arte deve ser lida hoje, mas deverá sê-la, especialmente amanhã. A decifrá-la, como sempre, deverá ser chamado quem terá compreendido sua linguagem.

O mau recente discurso pictórico desse pintor superou os limites dos abstrato geométrico minimalista, para estruturar-se, nos termos diversificados de uma pesquisa estabelecida, à conquista de uma nova fenomenologia da imagem.

Encontramo-nos frente a emblemáticas seqüencias de uma realidade desvinculada do direto chamamento naturalístico. O artista situa-se numa dimensão estética quase enigmática, longe do “prazer do enigma”, tão caro aos surrealistas e ainda mais longe do “fantástico” em que aportam os modernos banalizadores dos mitos do inconsciente.

A obra de Marcos Irine está repleta de uma linguagem impregnada de simbolismo, que evoca, na sua dinâmica, os sinais de um reencontrado futurismo.


Emanuel von Lauenstein Massarani - Superintendente Cultural do Assembléia Legislativa de SP