Urbana

Em 2002 lançou sua primeira coleção intitulada Urbana, onde o artista mostrou sua ótica sobre temas urbanos, em sua maioria tendo como tal a cidade de São Paulo. Na ocasião teve como seu convidado o artista plástico Thiago Martins, com a proposta de produzir algumas esculturas que incorporam o estilo e técnica da pintura de Marcos Irine, desafio aceito, e a coleção urbana foi exposta por cinco meses no saguão do Teatro Gazeta, na Avenida Paulista, em SP, sob o título Urbana, Mostra de Arte Contemporânea, sob a curadoria de Juvenal Irene, cenógrafo.

Assim este jovem artista de origem goiana, transita pelos encantos e ameaças do mundo urbano, pincelando e modelando o incompreensível com a simplicidade que apenas o olhar interiorano pode ter. Poesia das cores na realidade cinzenta das grandes metrópoles, a sagrada capacidade de buscar dentro de si, um equilíbrio para o indomável.

Marcos Irine nos mostra a verdadeira essência da arte, a arte pelo artista e não para o meio, a preocupação de criar algo que responda às próprias inquietações e não apenas à aceitação estética e temporal das tendências.

Coragem é a senha, coragem de entender o cotidiano sem violar a si mesmo, coragem de transformar o meio pelo único bem que trazemos, nossa alma. É esta a sina do artista, a insuportável e doce necessidade de encontrar a si mesmo.

Um trabalho delicado que nos faz sentir na ponta dos dedos as respostas que por vezes nem ousamos perguntar. Eles é, sem dúvida, uma nova janela, um beiral aconchegante para debruçar os olhos e entender a metrópole com a simplicidade das tardes do cerrado.


Vito D'Alessio - Jornalista e fotógrafo